Jovem Músico BDMG se consolida como ponto de partida para estudantes

Série de recitais abre as portas para músicos que se apresentam para o público da capital mineira

Há 16 anos, estudantes de música mineiros ou residentes no estado há mais de dois anos, com até 25 anos, participam do Jovem Músico BDMG. A série de recitais, realizada pelo BDMG Cultural, se consolidou ao longo desta caminhada como uma oportunidade de músicos jovens e em início de carreira de se apresentar para o público, em muitos casos, pela primeira vez. Na próxima terça-feira (9/8), Talita Cotta (harpa), Vivían Guedes (soprano), Lucas Freitas (violino) e Emília Carneiro (clarineta) farão parte desta história, com uma apresentação, às 19h30, na Sala Juvenal Dias, do Palácio das Artes.

Natural de Juiz de Fora, Vivian Guedes tem 24 anos e faz mestrado em música na UNESP e na Universidade Paulista de Artes, em São Paulo. Mesmo morando na capital paulista, ela decidiu participar da série de recitais. “É grande a alegria e a gratidão de ser reconhecida e poder cantar pelo concurso sediado no Palácio das Artes. O projeto nos impulsiona com o estímulo de buscar cada vez mais a dedicação musical, fomentando a centelha de sonhos, que se realizam agora no estado, e vão crescendo para ganhar o Brasil e depois o mundo”, conta a jovem artista.

Anualmente, cerca de 28 músicos são selecionados para o programa de música erudita. Alguns residem na capital e região metropolitana de Belo Horizonte. Outros vem de fora da cidade para buscar este crescimento na carreira profissional. “Como estudante de violino que veio do interior de Minas, tal experiência gratifica o esforço do instrumentista e é um grande incentivo para a busca de novas conquistas para a carreira profissional”, explica Lucas Freitas, violinista natural de Bom Despacho e que hoje estuda na UEMG.

Até novembro, 21 músicos participarão de seis recitais. A seleção dos jovens foi realizada por uma comissão julgadora formada por Clóvis Gontijo Salgado, Rubner Abreu e Cláudio Urgel.

Conheça mais sobre os músicos participantes:

– Talita Cotta

A belo-horizontina Talita Cotta tem 25 anos e é graduada em canto pela UFMG. A harpista iniciou seus estudos musicais em 2009, na classe do professor Marcelo Penido. Desde então, realizou masterclasses e aulas particulares com Yolanda Kondonassis, Gianetta Baril e Chantal Mathieu. Em 2016, ingressou no curso de bacharelado em música, com habilitação em harpa, pela UFMG.

– Vivian Guedes

Natural de Juiz de Fora, Vivian Guedes tem 24 anos. É bacharel em música/canto pela UFJF e se formou em canto, pelo Conservatório Estadual de Música Haidée França Americano. Na cidade de São Paulo, estudou na Escola de Música do Theatro Municipal, e na EMESP, onde foi bolsista do Coral Jovem do Estado de São Paulo. Participou de diversos festivais como Festival Internacional e Música Colonial Brasileira e Música Antiga, em Juiz de Fora; Villa-Lobos, no Rio de Janeiro; Encontro Nacional de Canto de Tatuí, e Festival de Londrina. Vivian realizou masterclasses com Laura de Souza, Tais Bandeira, Marília Vargas, Rosana Lamosa, Alessandro Sanggiorgi, Carlos Aransay, entre outros. Atua em recitais, óperas e concertos, de formações camerísticas e como solista. A jovem foi premiada nos concursos Pró-Música/UFJF Convida e Jovens Solistas da Amadeus Orchestra. Atualmente, faz mestrado em música pela UNESP e pela Universidade Paulista de Artes.

Pianista convidada: Patrícia Valadão

– Lucas Freitas

Natural de Bom Despacho, o violinista iniciou seus estudos de música e violino na Escola de Música de Formiga, em 2006. Em 2009, Lucas Freitas ingressou no curso de licenciatura em música, com habilitação em violino, na Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ). Durante o curso, fez aulas com o professor Leonardo Lacerda. O músico participou de festivais e encontros nacionais e internacionais de música no país. Realizou masterclasses com Paulo Bosísio, Marco Damm, Marena Salles, Edson Queiroz, Kirsten Yon, entre outros. Hoje, com 25 anos, faz bacharelado com habilitação em violino na UEMG, na classe do professor Leonardo Lacerda.

Pianista convidada: Valéria Gazire

– Emília Carneiro

A belo-horizontina Emília Carneiro iniciou seus estudos na área musical aos quatro anos, no Centro de Musicalização Infantil da UFMG (CMI), onde posteriormente deu aulas de clarineta para crianças. Ainda na infância, Emília também estudou na Opus Escola de Música. Em 2010, cursou disciplinas de música na Fundação Clóvis Salgado (Cefar), no Palácio das Artes, com o professor Ney Franco. A clarinetista integrou a Orquestra de Sopros da Fundação de Educação Artística (FEA), participou das óperas “Um Baile de Máscaras” e “Rigoletto”, no Palácio das Artes; se apresentou na sonata para clarinete e piano de Saint-Säens, no Conservatório da UFMG; e fez parte de concertos com a Orquestra Sinfônica da UFMG. Aos 22 anos, cursa bacharelado em clarineta na UFMG, na classe do professor Maurício Loureiro, integra a Orquestra Sinfônica de Betim, e foi convidada para realizar concerto junto à Banda de Música da Academia de Bombeiros Militar, na Sala Minas Gerais.

Serviço:

Jovem Músico BDMG apresenta Talita Cotta (harpa), Vivían Guedes (soprano), Lucas Freitas (violino) e Emília Carneiro (clarineta)
Data/horário: 
9 de agosto (terça-feira), às 19h30
Local: Sala Juvenal Dias, Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1.537, Centro)
Ingressos: R$ 2 (inteira)
Outras informações: (31) 3236-7400

http://www.cultura.mg.gov.br/cidadao/como-doar-livros-a-biblioteca/story/3453-jovem-musico-bdmg-se-consolida-como-ponto-de-partida-para-estudantes

Lascia un commento

Il tuo indirizzo email non sarà pubblicato. I campi obbligatori sono contrassegnati *

Questo sito usa Akismet per ridurre lo spam. Scopri come i tuoi dati vengono elaborati.